domingo, 13 de maio de 2012

Um Dia Inesquecível!!!

          Ufa! Hoje foi um dia daqueles! Um dia inesquecível! Isto por duas razões que juntas mexeram muito com o meu coração. A primeira razão é que hoje é o dia das mães e a segunda razão é que justamente hoje, 13 de Maio de 2012, dia das mães, nasceu minha primeira filha, a Ester! É algo que realmente mexe muito com a gente. Vê-la sendo retirada do ventre da minha esposa, no berçário, chorando, sendo amamentada pela minha esposa, enfim, cada momento é sem dúvida, marcante. Quando vi nossa filha deitada no berçário, logo pensei comigo: "Meu Deus, como é que algumas pessoas podem não acreditar na existência de Deus e atribuir isso à evolução!?" É realmente algo maravilhoso contemplar um recém-nascido! Lembro-me agora das palavras do salmista que diz: "Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!" (Salmo 139.14-17).
           Este dia também foi um dia de preciosas lembranças queridas, de uma pessoa muito querida, minha mãe Cleuzeni Soares Cozer! Coração apertado por uma vida terminou e por uma vida que está começando! É um sentimento duplo! Meu Deus, como é a nossa vida! Mas em tudo isso eu glorifico a Deus. Ao ver minha filha deitada no bercinho, lembrei-me imediatamente de minha querida mãe. Passo aqui a compartilhar com você querido leitor ou leitora do nosso blog, a homenagem que pude escrever à minha mãe e que ela leu alguns meses antes de sua morte. Esta homenagem foi parte do prefácio de uma de minhas apostilas. Eu apenas copiei e colei aqui o texto:

"À minha querida mamãe, Cleuzeni, por seu grande amor e carinho, que apesar de não ser minha mãe biológica, cuidou de mim com toda a dedicação necessária à educação de um filho. Ela foi “meu primeiro pastor”, “meu primeiro teólogo”, “meu primeiro exegeta”, “meu primeiro professor de Escola Bíblica Dominical”, enfim, ela me fez conhecer o Meigo e Terno Salvador. Obrigado, mamãe, pelos anos de dedicação e abnegação! Te amo!"

          Minha mãe era uma pessoa como eu, com mil e um defeitos, mas as sentenças que proferi em referência à ela acima são a mais pura verdade. 

           Obrigado Senhor, pelos 59 anos que concedestes à minha mãe!
           Espero revê-la em breve!

Eu e mamãe - saudades!!!

Roney Ricardo
Maio de 2012
          


Nenhum comentário:

Postar um comentário