quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Para Casais




Uso a palavra "ministério" para referir-me à um serviço prestado a Deus. Nesse sentido, podemos até expandir o conceito para toda a família, isto é, a família inteira pode ser considerada um ministério cristão.

É importante que o casal cultive junto a comunhão com Deus através da oração, leitura e estudo contínuo da Bíblia.














quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

MINISTÉRIOS FRACASSADOS! Um Documentário Que Toda a Igreja Evangélica Precisa Assistir!

     Uau! Essa semana tive a alegria de casualmente, "navegando" pela rede, encontrar esse documentário, que está postado abaixo. Por muitas vezes, eu me senti um pouco fracassado em meu ministério, mas vejo que talvez Deus tenha mesmo me chamado para ser um "fracassado", e o melhor, há outros como eu, como o documentário demonstra! Glória a Deus por isso, glória a Deus por eu ter um ministério "fracassado".
     Confira!

Cientista Evangélico Rebate Teoria da Evolução - Confira!!!




Não Se Engane Pelas Aparências ! ! !


Erros que o Líder Cristão Deve Evitar


“O ministério que nada custa, nada realiza”.
J. H. Jowett, antigo pastor-teólogo e pregador britânico


I – ERROS QUE O LÍDER CRISTÃO DEVE EVITAR

            Passaremos a considerar neste tópico alguns pontos fundamentais em relação à postura do líder diante do grupo que conduz. É natural que o líder cometa erros, assim como os liderados também cometem erros, mas não é natural que ambos permaneçam nestes mesmos erros. Em nossa caminhada encontramos dificuldades e muitas vezes nos achamos em aperto sobre que decisão tomar. Professor Esdras C. Bentho, em seu livro Hermenêutica Fácil e Descomplicada, faz uma preciosa declaração que podemos aplicar muito bem aqui: “Na falta de saber qual é o caminho, caminhar por trilhas seguras ainda continua sendo a melhor forma de se seguir à frente”. Queremos nesse momento, compartilhar com o leitor que potencialmente pode ser um líder ou talvez já o seja, algumas orientações fundamentais para o exercício de uma boa liderança, orientações que não temos dúvida: são “trilhas seguras”.
           
Líder, evite os seguintes erros em relação aos seus liderados: 
           
1. A Arrogância. Conta Alexandre Rangel, em seu livro O Que Podemos Aprender com os Gansos, o seguinte caso:

“Dizem que em 1995 houve o seguinte diálogo entre um navio da Marinha americana e as autoridades costeiras do Canadá. Os americanos começaram educadamente:
- Favor alterar seu curso 15 graus para o norte, para evitar colisão com nossa embarcação.
Os canadenses responderam de pronto:
- Recomendo mudar seu curso 15 graus para o sul.
O americano ficou mordido:
- Aqui é o capitão de um navio da Marinha americana! Repito, mude seu curso.
Mas o canadense insistiu:
- Impossível. Mude seu curso atual.
O negócio começou a ficar feio. O capitão americano berrou ao microfone:
- Este é o porta-aviões USS Lincoln, o segundo maior da frota americana no
Atlântico! Estamos acompanhados de três destroyers, três fragatas e numerosos navios de suporte. Eu exijo que vocês mudem imediatamente seu curso 15 graus para o norte, do contrário tomaremos contramedidas para garantir a segurança do navio.
E o canadense respondeu:
- Impossível, repito: aqui é um farol... Câmbio!
Às vezes nossa arrogância nos faz cegos... Quantas vezes não insistimos em criticar a atitude dos outros, quantas vezes não exigimos mudanças de comportamento nas pessoas que vivem perto de nós, quando na verdade nós é que deveríamos mudar nosso rumo?”.

Este interessantíssimo incidente (que poderia ter se transformado numa catástrofe!) ensina-nos uma preciosa lição: quando agimos com arrogância podemos pensar e agir precipitadamente. Esse relato se aplica muito bem à vida do líder cristão. Uma característica marcante do líder cristão, que ele deve possuir, é ser humilde. Temos no grande líder Moisés este exemplo. Em Deuteronômio 1.9 lemos esta impressionante declaração de Moisés: Em seguida Moisés disse ao povo: — Quando ainda estávamos ao pé do monte Sinai, eu lhes disse: “Eu sozinho não posso cuidar de vocês” (na Nova Tradução na Linguagem de Hoje). Veja que exemplo memorável de humildade partindo de um líder ímpar na história de Israel. Moisés profere essas palavras em seu discurso ao povo e o que poderia ser um sinal de fraqueza da parte do líder, foi na verdade uma demonstração de humildade da parte dele e o reconhecimento de que ele possuía limitações como homem. Lembremo-nos das palavras de Cristo em Lucas 22.25,26!


            2. Visão pequena, sem amplitude. É muito triste e altamente prejudicial quando um líder tem visão pequena, atrofiada, limitada. O líder não deve jamais acomodar-se e achar que “assim está bom”, “a vida é assim mesmo”, “isso não vai mudar nunca!”, etc. Essas são expressões que denotam comodismo, conformismo, tranqüilidade. Liderança implica em provocar os liderados a uma ação positiva, a uma mudança, quando ela se faz necessária de fato. Veja que exemplo formidável temos em Eliseu: Disseram os discípulos dos profetas a Eliseu: Eis que o lugar em que habitamos contigo é estreito demais para nós. Vamos, pois, até ao Jordão, tomemos de lá, cada um de nós uma viga, e construamos um lugar em que habitemos. Respondeu ele: Ide. Disse um: Serve-te de ires com os teus servos. Ele tornou: Eu irei. E foi com eles...” (2 Reis 6.1-4a). O texto revela-nos que o local onde Eliseu estava com os discípulos dos profetas havia ficado pequeno e era necessário um local maior, um abrigo maior. Interessante notar que a iniciativa de construir um local maior parte dos liderados e não do líder, nesse caso, Eliseu. Observemos, contudo, algumas atitudes em Eliseu que denotam um líder que tem visão ampla, grande: “Respondeu ele: Ide... Eu irei”. Eliseu em primeiro lugar reconhece que a solicitação era legítima, necessária. Em segundo lugar, ele incentiva seus liderados a fazerem o que era necessário: “Ide”. Em terceiro lugar, Eliseu não apenas reconhece e não apenas incentiva, ele mesmo vai! Em outras palavras, Eliseu colocou a mão na massa também! Sei de um caso interessante que ocorreu numa dada igreja local. Uma irmã havia perdido sua casa numa forte chuva e houve uma reunião de obreiros para discutir como a igreja poderia ajudá-la. O líder da igreja, nesse caso, o pastor, propôs aos obreiros construir as bases da casa, pelo menos, para a irmã poder recomeçar. Mas a verdade é que essa irmã não poderia dar continuidade e terminar a casa, dada a sua condição financeira. Sabendo disso, um dos obreiros manifestou-se e disse: “Pastor, nós não vamos fazer as bases, vamos fazer a casa!” Aquela palavra foi decisiva e o pastor apoiou. A casa, embora simples, foi feita e entregue à irmã!

            3. Não reconhecer quando erra. Disse o célebre escritor britânico evangélico C. S. Lewis: “Não há nada de progressista em ser um cabeça-dura que se recusa a admitir o erro”. Pensemos nisso! O líder cristão é humano e portanto passível de erro. Mas podemos aprender com o erro. Quando Thomas Edison (1847-1931) inventou a lâmpada, não saiu logo à primeira tentativa. Edison realizou mais de mil experiências até ao ponto de um dos seus colaboradores que trabalhava na sua oficina perguntar-lhe se ele não desanimava com tantos fracassos, ao que Edison respondeu:

- “Fracassos? Não sei do que falas, em cada experiência descubro um dos motivos pelo qual a lâmpada não funciona. Agora sei mais de mil maneiras de como não fazer a lâmpada”.

Uma questão de perspectiva do fracasso ou da força de vontade. A 21 de Outubro de 1879 Edison realizou a primeira demonstração publica da lâmpada perante três mil pessoas reunidas em Menlo Park (Califórnia). Essa lâmpada brilhou durante 48 horas ininterruptamente. A idéia que quero transmitir ao leitor com esta narrativa não é a de que ele deve errar continuamente para aprender, isto é, cometer os mesmos erros continuamente, mas mudar sua postura diante do erro, como Thomas Edison, que mudou mais de mil vezes até chegar ao ponto almejado.

II – MODELOS DE LIDERANÇA A SEREM EVITADOS

            Vejamos a seguir alguns modelos de liderança que devem ser evitados por todo aquele que deseja exercer uma boa e positiva liderança sobre a equipe que lidera, sem imposição, mas por conquista:

            1. O líder autocrata. A palavra “autocrata” aponta para um “soberano absoluto e independente” (Aurélio). Alguém que pensa ser independente dos outros, não necessitar de ajuda para liderar. Infelizmente, encontramos esse modelo de liderança em algumas de nossas igrejas. O líder que segue esse modelo é aquele que não confia nos seus liderados, não partilha as oportunidades e responsabilidades com eles. O líder autocrata procura centralizar toda a direção da igreja em torno de si mesmo. O líder autocrata é aquele que usa aquelas famosas frases:

Ø  “Eu é que estou mandando!”
Ø  “Porque eu quero assim...”
Ø  “Quem manda aqui sou eu!”
Ø  “Essa igreja é minha”

2.   O líder equivocado, que na verdade não é bem um líder, no melhor sentido da palavra, pois ele é inseguro quanto à sua chamada, fica deslocado nessa função. É inseguro quanto à sua posição e teme perde-la. Esse tipo de líder acaba sendo um problema para a igreja, pois ele mesmo acaba por transmitir insegurança para seus liderados, perdendo com isso a confiança deles e desestabilizando a igreja.

            3. O líder liberal, aquele que demonstra irresponsabilidade para com o grupo permitindo que tudo aconteça sem limites e sem ordem. Ele pensa que no final, tudo vai dar certo. Ele não traça metas, não dá diretrizes, não delega responsabilidades e com isso não impõe respeito aos seus liderados, ele não conquista o respeito e a admiração deles. Esse líder também é um problema para a igreja.

III – MODELOS DE LIDERANÇA A SEREM SEGUIDOS

            Há modelos que podemos e devemos seguir, procurando sempre nos aprimorar nesses modelos, ampliando-os e aperfeiçoando-os cada vez mais no nosso próprio ministério cristão como líderes. Vejamos alguns desses modelos positivos de liderança que devemos seguir:

            1. O líder democrático. Não devemos confundir o líder democrático com o líder liberal, explicado no tópico anterior. O líder democrático é aquele que reconhece o papel, a opinião e a posição de cada um de seus liderados no corpo de Cristo. Sendo assim, ele abre espaço, delega responsabilidades porque confia nos seus liderados e dá valor ao trabalho em equipe e da equipe!

            2. O líder carismático, aquele que tem “carisma” para com o grupo, isto é, ele cai na graça do povo. A palavra “carismático” deriva do grego (charis) e significa “fascinação”, “graça”. É um estilo positivo de liderança, mas que precisa de cuidados – não basta ser carismático, é preciso que haja o conjunto do que estamos considerando aqui, do contrário, esse modelo de liderança não será eficaz.